Aliados

sábado, 5 de abril de 2014

Despedida da Kombi

Há alguns dias vi este vídeo de despedida da Kombi e lembrei que ela também fez parte da minha vida. Em 1992, eu mais uma turminha de Tubarão e Jaguaruna, íamos estudar em Criciúma acomodados numa Kombi Azul. Muitas histórias se passaram dentro daquela companheira de estrada! Sustos, atrasos, amizades, estudos, segredos, apertos, risadas e muita, muita música e diversão. 
Saíamos finalzinho da tarde e no rádio tocava as mais pedidas. Uma canção que sempre vem na lembrança quando vejo uma Kombi é Vento Ventania do Biquini Cavadão que ficou semanas como a número 1 das nossas cantorias... Me leve sem destino... 
Com certeza, depois que assisti ao vídeo, percebi que são muitas as histórias relacionadas com os 56 anos da Kombi. 
Ela não será mais fabricada devido as novas normas estabelecidas pelo CONTRAN que impõe que todo carro nacional, ao sair de fábrica, tenha  ABS e airbag. 
Tem uma matéria bem interessante AQUI


Com certeza este utilitário irá deixar saudades.


domingo, 30 de março de 2014

Simples, fácil e comum - Do Livro: A graça da coisa, Martha Medeiros


Esqueceram o livro A graça Da Coisa aqui em casa! Leio bem devagar, saboreando cada frase. Hoje, um domingão maravilhoso de outono, resolvi postar o Simples, fácil e comum.  


Tenho mergulhado numa questão que parece prosaica, mas é de importância vital para melhor conduzirmos os dias: por que as pessoas rejeitam aquilo que é simples, fácil e comum? 

O mundo evolui através de conexões reais: relacionamentos amorosos, relacionamentos profissionais e relacionamentos familiares – basicamente. É através deles que nos enriquecemos, que nossos sonhos são atingidos e que o viver bem é alcançado. No entanto, como nos atrapalhamos com essas relações. Tornamos tudo mais difícil do que o necessário. Estabelecemos um modo de viver que privilegia o complicado em detrimento do que é simples. Talvez porque o simples nos pareça frívolo. Quem disse? 

Não temos controle sobre o que pode dar errado, e muita coisa dá: a reação negativa diante dos nossos esforços, o cancelamento de projetos, o desamor, as inundações, as doenças, a falta de dinheiro, as limitações da velhice, o que mais? Sempre há mais. 

Então, justamente por essa longa lista de adversidades que podem ocorrer, torna-se obrigatório facilitar o que depende de nós. É uma ilusão achar que pareceremos sábios e sedutores se nossa vida for um nó cego. Fala-se muito em inteligência emocional, mas poucos discutem o seu oposto: a burrice emocional, que faz com que tantos façam escolhas estapafúrdias a fim de que pelo menos sua estranheza seja reconhecida. 

O simples, o fácil e o comum. Você sabe do que se trata, mas não custa lembrar. 

Ser objetivo e dizer a verdade, em vez de fazer misteriozinhos que só travam a comunicação. Investir no básico (a casa, a alimentação, o trabalho, o estudo) em vez de torrar as economias em extravagâncias que não sedimentam nada. Tratar bem as pessoas, dando-lhes crédito, em vez de brigar à toa. Saber pedir desculpas, esclarecer mal-entendidos e limpar o caminho para o convívio, ao invés de morrer abraçado ao próprio orgulho. Não gastar seu tempo com causas perdidas. 

Unir-se a pessoas do bem. Informar-se previamente sobre o que o aguarda, seja um novo projeto, uma viagem, um concurso público, uma entrevista - preparar-se não tira o gostinho da aventura, só potencializa sua realização. 

Se você sabe que não vai mudar de ideia, diga logo sim ou não, para que enrolar? Cuide do seu amor. Não dê corda para quem você não deseja por perto. Procure ajuda quando precisar. Não chegue atrasado. Não se envergonhe de gostar do que todos gostam: optar por caminhos espinhentos às vezes serve apenas para forçar uma vitimização. O mundo já é cruel o suficiente para ainda procurarmos encrenca e chatice por conta própria. Há outras maneiras de aparecer. 

Temos escolha. De todos os tipos. As boas escolhas são divulgadas. As más escolhas são mais secretas e, por isso, confundidas com autenticidade, fica a impressão de que dificultar a própria vida fará com que o cidadão mereça uma medalha de honra ao mérito ao final da jornada. Quem acredita que o desgaste honra a existência, depois não pode reclamar por ter virado o super-herói de um gibi que ninguém lê.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O que faria diferente? Casinha depois de quase 3 anos. Parte 1

Nossa, faz muito tempo que não escrevo. Confesso que não sei porque. Confesso que senti falta de compartilhar coisas, mas deixa de mas e vamos ao que interessa.
Um dos posts mais visualizados é, sem dúvidas, o do muro de vidro. Já indiquei o serviço do Flavio (ESAU) para muita gente, mas... Não colocaria portão de vidro novamente.  Não do mesmo jeito que foi colocado. Faria com uma base de segurança acompanhando o portão por cima, com um trilho que não fosse de alumínio, pois com o peso do portão e eventuais pedrinhas fizeram com que o trilho ficasse irregular e cheio de costelinhas, faria com roldanas aparentes para facilitar a troca e com um tipo de detalhe vazado para passagem do vento... Aqui venta muito! E foi um vento forte, de fazer redemoinhos, e a falta dos detalhes que citei que fizeram o portão se espatifar no chão. Sorte que não machucou ninguém e que ele caiu para dentro do pátio.




Resolvemos colocar um portão de fácil manutenção. Com todas as especificações que queríamos, mas que na época foram achadas desnecessárias. Hoje o portão é de ferro galvanizado, com um trilho mega resistente, com uma base acompanhando seguramente o portão por cima, e as roldanas de fácil troca e manutenção... Ufa!


Base até o final e não só a mão francesa!


Roldanas aparentes
As outras pequenas grandes mudanças conto depois! Espero que em breve.

Eutimia!
Vanessa

sábado, 29 de junho de 2013

William Shakespeare

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"
William Shakespeare

terça-feira, 9 de abril de 2013

Artesanato em madeira

O nome dele é Elias. Não sei o nome da rua, no Rio de Janeiro, ele apresenta suas peças. Já era noite e ele estava montando um avião.. De longe, Dona Dina avistou as peças no chão. Atravessamos a rua e no meio, como uma praça arborizada, vimos e levamos um pouquinho dessa arte para casa. Entre aviões, trens, fuscas, motos, barcos, Elias nos contava sobre seu ofício. Sua esposa, também artesã, envia as peças para montagem e comércio no Rio. Ela mora no Pará.


Lindos trabalhos.

Aula = Saque Jornada nas Estrelas

Num outro momento: "Professora, a senhora (quase envelheci mais uns 37 anos) conhece o saque jornada nas estrelas?" Gurizada olhou estranho. Silêncio. Momento tenso. Eu respondo: "Claro. Anos 80. Grande jogador da Seleção de vôlei. Bernard é o nome dele.  Fazia a bola sumir das câmeras e caia numa velocidade considerada. Hoje, relatado como saque ultrapassado." Apenas nós 2, dos quase 15 alunos ali próximos, estávamos sabendo do que se tratava. Ele sorriu e explicou metodicamente, para os mais curiosos, informando inclusive que não foi o Bernard que inventou e sim que o popularizou aqui no Brasil.

Prá quem não sabe: 
O saque Jornada nas Estrelas foi popularizado em 1982 pelo ex-jogador Bernard. Atingia uma altura de 25 metros. A bola descia a uma velocidade de 72 km/h. Segundo os especialistas, esse tipo de saque já existia desde a década de 40 nos Estados Unidos com o nome de "spin service". Foi a atração do Campeonato Mundial Extra de Vôlei, em 1949, na antiga Tchecoslováquia. DAQUI

Agora para quem quer praticar tem o passo-a-passo da execução do saque: AQUI

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Compartilho...


"Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro. Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas. As primeiras ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço. Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.


Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares talentos e sorte. Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas que, apesar da idade cronológica, são imaturas. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral. As pessoas não debatem conteúdos, apenas rótulos. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa ... Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade. Quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, O essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial! "

Mário de Andrade (1893-1945)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Aula = Aluno professor / Professora confusa.

Chego na porta da sala, logo após o intervalo da manhã, e me deparo com alguns alunos no corredor conversando, comendo e querendo saber o que faremos hoje. Observo que outros estão dentro da sala, enquanto um jovem gesticula de maneira expressiva. Aguardo na porta. Espero o término de uma explicação que continua forte... Depois de uns 3 minutos, olho para meu cronômetro, observo os alunos não entendendo minha espera na porta. Respondo mais uma gracinha do meu Avaí... E... Questiono: "Tá, mas o professor não vai acabar a explicação prá eu poder iniciar a nossa aula?" Sem mais demora, escuto: "Professor? (muitos risos) É aluno, professora"! (mais muitos risos) Entro meio sem graça (rindo também) começo a chamada. Digo para os demais o ocorrido, mais muitos risos... e bóora para quadra, galerinha!
Aluno  do curso Técnico Integrado em Refrigeração e Climatização. Convivência intensa entre alunos adolescentes. Vejo muito deles nele, e muito nele deles... Certo de seus objetivos, o aluno professor segue determinado, participativo e entrosado com a turminha que não perdoa...

domingo, 16 de setembro de 2012

Iria assim:

Amei este vestido. Bem coringa. Basta trocar os acessórios e fui...


Uma saidinha na sexta (feriado)


Gostei de montar looks.
Vem mais por ai:
Cineminha de sábado

Passeio de domingo de manhã...
Quem quiser brincar de se vestir: http://www.polyvore.com/

Eutimia

domingo, 9 de setembro de 2012

Dia do Administrador.


"Ser competente é acertar um alvo que ninguém acertou, ser administrador é acertar um alvo que ninguém viu." Erlandson F. A. Andrade.
Parabéns a todos os Administradores especialmente ao filho da Dona Silésia e do Seu Lúcio: Leandro...
Empreendedor aos 17 anos
Militar dos 23 aos 37

Mas sempre um excelente administrador.